Rússia renuncia ao cargo de presidente do Comité do Património da UNESCO após paralisia da invasão da Ucrânia

Arquivo
Arquivo – Spasskaya Tower of the Kremlin, sede da presidência russa, perto da Praça Vermelha em Moscovo – SEAMAS CULLIGAN / ZUMA PRESS / CONTACTOPHOTO

A Rússia renunciou ao cargo de presidente do Comité do Património Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), depois de a agência ter adiado indefinidamente um fórum na sequência da ofensiva militar sobre a Ucrânia.

A Rússia exerce a presidência do comité desde o Verão de 2021, o que, em circunstâncias normais, lhe teria permitido acolher uma reunião que já tinha proposto realizar na cidade de Kazan. Em Abril, a UNESCO reconheceu que o fórum tinha sido adiado «indefinidamente».

Está prevista uma nova sessão antes do final do ano para eleger o novo presidente do grupo que decide que monumentos ou sítios são acrescentados à lista oficial do Património Mundial da organização, de acordo com a delegação alemã.

A UNESCO denunciou os efeitos dos combates nos locais após o deflagrar do conflito, embora não tenha conhecimento de que algum dos locais oficialmente protegidos tenha sido bombardeado. Em Outubro, o Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky solicitou que o centro histórico de Odessa fosse acrescentado à lista.