O Procurador-Geral do Líbano ordena a libertação de todos os detidos durante o mês de Agosto de 2020 Explosão de Beirute

Arquivo
Arquivo – Danos causados por explosões no porto de Beirute – Marwan Naamani/dpa

O Procurador-Geral do Líbano, Ghassan Ueidat, ordenou na quarta-feira a libertação de todos os detidos em ligação com a explosão de Agosto de 2020 em Beirute, em meio a tensões com o juiz encarregado das investigações.

Ueidat emitiu hoje uma ordem para libertar todos os detidos, sem excepção, e para lhes impor uma proibição de viagem. Estão agora à disposição do Conselho Judicial, como noticiado pela agência noticiosa estatal libanesa NNA.

A decisão veio apenas um dia depois do juiz encarregado das investigações, Tarek Bitar, acusar o procurador-geral e vários juízes, de acordo com fontes citadas pela televisão LBCI. Bitar retomou o seu trabalho na segunda-feira após uma suspensão de 13 meses devido a vários processos judiciais contra ele que bloquearam as investigações.

Em resposta à decisão de Bitar, o Ministério Público libanês apresentou uma notificação aos tribunais para não aplicar as notificações do juiz como inválidas, em meio a agitação generalizada entre as famílias das vítimas da explosão, que deixou mais de 200 pessoas mortas, Bitar substituiu Fadi Sauan após ter sido afastado do caso na sequência de uma série de queixas de altos funcionários convocados para testemunhar, incluindo o antigo ministro do Interior Nuhad Machnuk, embora as acções judiciais de vários antigos ministros convocados para testemunhar também tenham levado à suspensão das suas investigações.

A agitação popular tem vindo a aumentar nos últimos meses devido ao bloqueio e atrasos no levantamento da imunidade de antigos ministros e parlamentares que foram convocados pelo juiz Bitar para testemunhar como parte das investigações, incluindo o antigo primeiro-ministro Hasan Diab, que se demitiu em meio à onda de protestos que se seguiu ao evento.

Fonte: (EUROPA PRESS)