Nove candidatos irão concorrer às eleições presidenciais na República Checa em Janeiro de 2023.

Arquivo
Arquivo – Antigo primeiro-ministro checo Andrej Babis. – íhová Michaela/CTK/dpa

O Ministério do Interior da República Checa disse na sexta-feira que até nove candidatos concorrerão nas eleições presidenciais marcadas para a primeira volta a 13-14 de Janeiro de 2023, incluindo o antigo primeiro-ministro Andrej Babis, que é o precursor.

Sete destes candidatos foram apoiados por deputados e senadores – 20 dos primeiros ou 10 dos segundos são necessários – enquanto outros obtiveram um número suficiente de assinaturas de cidadãos – 50.000.

Treze outros candidatos foram deixados de fora por não cumprirem todos os requisitos por várias razões, incluindo o facto de não terem apresentado a sua candidatura dentro do prazo ou de não terem obtido o número mínimo de assinaturas de cidadãos exigido.

O primeiro-ministro continua a ser o ex-primeiro-ministro Babis com 22 por cento dos votos, derrotado por pouco pelo antigo presidente do Comité Militar da OTAN, General Petr Pavel, reformado, com 22,5 por cento dos votos.

Em terceiro lugar estaria o antigo reitor da Universidade de Mendel em Brno, Danuse Nerudova, com 15% dos votos, de acordo com as últimas sondagens publicadas no início deste mês nos meios de comunicação checos.

Uma possível fuga teria lugar 14 dias após a primeira volta. O actual presidente, Milos Zeman, não é elegível para concorrer novamente depois de cumprir os seus dois mandatos ao abrigo da lei checa.