Pelé» já não responde à quimioterapia e vai para os cuidados paliativos, de acordo com fontes da ‘Folha’.

Archivo
Archivo – Edson Arantes do Nascimento, Pelé – Achim Scheidemann/dpa

O craque brasileiro Edson Arantes do Nascimento, conhecido mundialmente como ‘Pelé’, deixou de responder ao tratamento quimioterápico que vinha recebendo desde Setembro do ano passado, quando se submeteu a uma cirurgia ao cancro do intestino, e está agora em tratamento paliativo.

Segundo fontes do jornal Folha do Brasil, o Pelé de 82 anos está «a receber medidas de conforto» para aliviar a dor e a falta de ar causada pelo cancro, que se metástaseou no seu intestino, pulmão e fígado.

Na sexta-feira à tarde, o Hospital Israelita Albert Einstein informou que Pelé tinha sido diagnosticado com uma infecção respiratória, após ter sido hospitalizado na terça-feira para uma reavaliação da terapia.

«A resposta tem sido adequada e o paciente, que permanece na ala comum, está estável, com uma melhoria geral da sua saúde», leu a declaração assinada pelos médicos Fabio Nasri, geriatra e endocrinologista, o oncologista René Gansl e Miguel Cendoroglo Neto, director-superintendente médico de Einstein.

O hospital não comentou a ‘Folha’ e limitou-se a responder que apenas fará uma declaração através de comunicados oficiais.